Os Açores

 

O Arquipélago situa-se no nordeste do Oceano Atlântico entre os 36º e os 43º de latitude Norte e os 25º e os 31º de longitude Oeste. Os territórios mais próximos são a Península Ibérica, a cerca de 2000 km a leste, a Madeira a 1200 km a sueste, a Nova Escócia a 2300 km a noroeste e a Bermuda a 3500 km a sudoeste. Integra a região biogeográfica da Macaronésia. As coordenadas geográficas das principais localidades dos Açores são as seguintes:

Local Lat. (N) Long. (W)
Vila do Corvo 39º 40.1´ 31º 06.5´
Santa Cruz das Flores 39º 27.2´ 31º 07.2´
Lajes das Flores 39º 22.6´ 31º 09.9´
Santa Cruz da Graciosa 39º 05.0´ 27º 59.9´
Praia da Vitória 38º 43.9´ 27º 03.5´
Velas 38º 40.8´ 28º 12.3´
Angra do Heroísmo 38º 39.0´ 27º 13.4´
Calheta 38º 36.0´ 28º 00.7´
Vila do Topo 38º 32.5´ 27º 45.6´
Horta 38º 32.0´ 28º 37.3´
Cais do Pico 38º 31.7´ 28º 19.2´
Lajes do Pico 38º 23.9´ 28º 15.4´
Ponta Delgada 37º 44.1´ 25º 40.3´
Ilhéus das Formigas 37º 17.0´ 24º 53.0´
Vila do Porto 36º 56.7´ 25º 08.9´

 

As ilhas do arquipélago dos Açores são as únicas estrutura que emergem à superfície associadas Crista Média Atlântica (Fig. 1). Para Sul a crista estende-se na direcção Oeste para Este estende-se a fractura dos Açores até ao estreito de Gibraltar marcando o limite Sul da placa tectónica Euro-asiática e Africana. Sendo de origem vulcânica recente as ilhas são caracterizadas por falta ou estreitas plataformas costeiras e taludes pronunciados onde predominam os substratos rochosos. As áreas pouco profundas (<1000m) são muito limitadas, representando cerca de 3% da área total da ZEE  (Zona Económica Exclusiva) da região, e distribuem-se ao longo do arquipélago de forma descontínua (entre ilhas e montes submarinos). Este facto coloca grandes limitações na produtividade e distribuição das espécies.

Do ponto de vista oceanográfico os Açores estão localizados na fronteira norte do Giro Subtropical do Atlântico Norte (SG) caracterizado por um elevado gradiente de temperatura horizontal e com profunda influência da Corrente do Golfo que transporta à superfície massas de água quente tropicais de oeste para o norte. O sistema de correntes que envolve os Açores é complexo mas na prática é dominado a norte por um braço sul da corrente fria do atlântico norte (NAC) e a sul pelo sistema frontal da corrente dos Açores, transportando à superfície massas de água quente, atravessando a crista média atlântica entre os paralelos 34º N e 36º N. Na região são detectadas em profundidade, abaixo da termoclina, massas de água com origem no atlântico norte central acima dos 700m. Nas profundidades intermédias (700-2000m) são detectadas massas de água subpolares do norte e sul e do mar do Lavrador. São ainda detectadas massas de água de origem Mediterrânica entre os 800-1200m de profundidade. Entre os 2000-4000m predominam massas de água fria de profundidade do atlântico norte. A temperatura de superfície apresenta variações sazonais consideráveis, aumentando de Sul para Norte com a progressão das estações do ano com um máximo no verão (http://oceano.horta.uac.pt/detra/). Embora os Açores sejam dominados por sistemas oceânicos predominantes de oeste, a fauna litoral tem mais afinidades com o Atlântico leste, evidenciando a complexidade do ecossistema dos Açores.