A Associação

 

A APEDA é uma Associação de Produtores de Espécies Demersais dos Açores, criada em 2002. Os fundadores desta associação foram Jorge Fernando Leal Gonçalves (actual presidente da direcção), Paulo Jorge Freitas Vieira (actualmente já não é membro da associação) e João Gabriel Costa Pinheiro (actual sócio).

Antes da criação da APEDA, cada pescador, mestre ou armador encontrava-se numa luta individual pelo que consideravam ser seu direito e dever, o que Jorge Gonçalves acreditava não levar a lugar nenhum. Daí se ter lembrado de que, talvez uma voz conjunta podería ser ouvida mais longe, produzindo mais efeito do que muitas vozes individuais. Paulo Vieira e João Pinheiro, uma vez persuadidos a entrar neste grande barco que é a APEDA e depois de muita papelada e burocracia estava então erguida uma associação de produtores de espécies demersais dos Açores.

No fundo, a Associação tem como objectivo tomar as medidas apropriadas para assegurar o exercício racional da pesca de demersais, pequenos pelágicos, crustáceos e moluscos, melhorar as condições de venda ou valorização do produto pescado pelos seus associados e, de forma geral, tomar todas as medidas adequadas à melhoria do rendimento dos respectivos membros, designadamente:

- Promover a execução de planos anuais da pesca;

- Fornecer serviços de harmonia com as necessidades profissionais, individuais e colectivas dos seus associados;

- Concentrar a oferta e regularizar os preços intervindo, neste caso, no nível da primeira venda;

- Estabelecer, no estádio de primeira venda, regras comuns para a venda, pelos associados da sua produção, nomeadamente pela fixação de preços de retirada, pela ultimação de contratos de venda ou pela definição de regras de controle de qualidade;

- Constituição de “stocks” regularizadores, procedendo à respectiva comercialização por conta dos associados;

- Empreender acções de melhoramento no que concerne à produção, descarga, colocação em venda e valorização do produto, bem como a matéria de qualidade, classificação e métodos de controle;

- Realizar, quando da inexistência de entidade oficializada para o efeito, a venda e recolha de dados estatística e registo de actividade das embarcações de associados;

- Administrar e desenvolver equilibradamente os fundos sociais.