Submarino português esteve 50 dias debaixo de água em operação naval europeia

 

O NRP Arpão regressou esta manhã a Lisboa após o cumprimento da missão na Operação SOPHIA da força naval da União Europeia EUNAVFOR MED, na qual percorreu 6240 milhas náuticas e esteve 50 dias em imersão, cujos períodos máximos nesta missão foram de 23 e 22 dias seguidos debaixo de água, tendo detetado 370 contactos, informações importantes nomeadamente no estabelecimento dos padrões de navegação, contribuindo desta forma para o combate às redes de tráfico de migrantes, combate ao tráfico ilegal de armas e de combustível, que atinge a região central do Mediterrâneo.

Com esta missão o submarino Arpão, que saiu de Lisboa a 2 de outubro, fez valer, mais uma vez, a elevada tecnologia com que está equipado, sendo um meio adequado à recolha de informações de forma discreta numa área com as características daquela região do mediterrâneo central.

Criada no contexto da União Europeia, a EUNAVFOR MED é uma força naval constituída por navios dos países da União Europeia, que se encontra a executar uma operação que, além do suporte do Conselho da UE, conta com o apoio das Nações Unidas através de uma Resolução 2240 (2015) do seu Conselho de Segurança. A missão desta força é “contribuir para o desmantelamento do modelo de negócio das redes de introdução clandestina de migrantes e tráfico de pessoas na zona sul do Mediterrâneo central.”

O NRP Arpão é comandado pelo Capitão-tenente Paulo Henriques Frade, tem uma guarnição de 8 oficiais, 13 sargentos e 13 praças.

Fonte: © Marinha Portuguesa

 
 
 

0 Comentários

Pode ser o primeiro a deixar um comentário.

 
 

Deixe um comentário