Submarino argentino desaparecido enviou sete pedidos de socorro

 

Bases navais da Argentina receberam contactos por telefone-satélite que poderão ter sido feitos a partir do submarino militar argentino, de que não se tem contacto desde quarta-feira.

A Marinha da Argentina declarou na noite deste sábado ter recebido 7 chamadas de satélite, que podem ter tido origem no submarino militar ARA San Juan, que está desaparecido há três dias no Oceano Atlântico.

As tentativas de comunicação da embarcação, que levava 44 pessoas, “indicam que a tripulação está a tentar restabelecer contacto. Estamos a tentar localizar a fonte das emissões”, afirmou a Marinha no seu perfil no Twitter, acrescentando que as chamadas duraram entre quatro e 36 segundos.

De acordo com o Ministério da Defesa, o contacto não chegou a ser estabelecido com o submarino, mas as autoridades estão a atentar localizar o emissor e tudo indica que a tripulação tentou realmente entrar em contacto com terra.

O submarino militar argentino, que desapareceu com 44 tripulantes a bordo, reportou pela última vez a sua posição na madrugada de quarta-feira, pelo que, passado algum tempo sem comunicação com o aparelho, a Armada decidiu ativar, na tarde de quinta-feira, o protocolo de busca.

Apesar do reforço do dispositivo de busca, o submarino ainda não foi encontrado. As buscas foram dificultadas pela má visibilidade, devido ao mau tempo na zona onde o submarino foi localizado pela última vez na quarta-feira.

O San Juan encontrava-se a mais de 400 km da costa da Patagónia, no litoral da província de Chubut, quando estabeleceu contacto pela última vez.  O plano de buscas prevê que o submarino se encontre a 430 quilómetros do ponto mais próximo da costa a sudeste da península de Valdés.

As buscas concentram-se numa zona com cerca de 300 quilómetros de diâmetro.

Fonte: ZAP // Lusa

 
 
 

0 Comentários

Pode ser o primeiro a deixar um comentário.

 
 

Deixe um comentário