O rapaz que reuniu 2 milhões de dólares para limpar os oceanos

 

O holandês Boyan Slat, de 20 anos, criou um conceito que usa as correntes e os ventos para juntar e recolher as toneladas de plástico que poluem os oceanos.

Foi numas férias na Grécia em 2011, quando fazia mergulho, que o jovem despertou para o problema da quantidade de plástico que sujam os oceanos. “Vi mais sacos de plástico do que peixe”, disse, segundo é citado pela BBC. Chocado com a situação, tentou procurar a solução e percebeu que as que existiam eram igualmente poluentes, além de dispendiosas.

Boyan Slat dedicou-se então à criação de um conceito que, agora, finalmente, começa a ver a luz do dia. A sua organização, a The Ocean Clean Up, angariou mais de dois milhões de dólares, junto de mais de 38 mil pessoas, que lhe permitirão avançar com o projeto.

O jovem criou um sistema em que longos braços flutuantes (com 50 quilómetros de comprimento cada um) ancorados ao fundo do mar e ligados a uma estação de recolha fazem a limpeza dos oceanos através das forças naturais do vento e das correntes.

A fiabilidade técnica da criação já havia sido comprovada por um grupo internacional de cientistas: o ângulo em V destes braços permitirá que o plástico se reúna e flutue até à plataforma, a qual, alimentada essencialmente por painéis solares, retirará o plástico acumulado com a ajuda das correntes marítimas, a um custo 33 vezes inferior ao dos métodos convencionais.

Depois de recolhido, o material é transportado para terra e reciclado.

Com este processo, poder-se-á reduzir para metade a quantidade de plástico que flutua no Oceano Pacífico, como se de uma ilha de tratasse, em apenas dez anos.

Recolhidos os dois milhões de dólares, Boyan Slat pretende agora avançar com o projeto e montar uma equipa para avançar com mais investigações. O primeiro projeto-piloto deverá estar a funcionar já no próximo ano.

Vídeo disponível aqui​

Fonte: DN

 

 
 
 

0 Comentários

Pode ser o primeiro a deixar um comentário.

 
 

Deixe um comentário